quarta-feira, 28 de julho de 2010

Expectativas a parte

Tem coisas e pessoas que não vão mudar. Nem aqui, nem em qualquer lugar do mundo.
Tem coisas e pessoas que sinto falta. E eu quero muito que chegue o dia em que
eu estarei certa de que posso viver sem elas.
Desistir, às vezes, é muito mais inteligência que fraqueza...
Pois é.


terça-feira, 27 de julho de 2010

Paradinha rápida

Se hoje, o inglês é como se fosse um item básico na vida de qualquer pessoa, eu digo: queridos, coloquem suas crianças no inglês desde muito cedo.
Me sinto uma criança sendo alfabetizada.
Sobre os cinco anos estudando inglês no Brasil... forget it!
No meu primeiro dia...
Sabe aquelas brincadeiras que crianças fazem em filmes - vender limonada na porta de casa?! Pois é. Duas crianças vieram brincar comigo e eu fiquei com cara de samambaia!
Eles perguntaram: Você quer beber água em uma flor como uma borboleta? Somente 5 centavos!
Traziam uma flor em formato de copinho e colocavam a água. Ah, eles tinham que dar na minha boca!
Teria sido mais divertido se eu não dependesse de mímica, ajuda de terceiros e tudo mais pra entender... Whatever!
Fomos (um amigo e eu) comer no subway... Nunca foi tão difícil pedir um lanche minha gente! O esquema é se fazer de simpática, sorrir, concordar! :)
Ah, a balada. Gente, a mulherada se esfrega, sobe em cima da mesa. (Ohhh my God!!! - é o que dizem as mais recatadas!). Os negros enormes (comparados ao meu 1,56), estilo hip hop, com colares e dente de ouro. É tudo real, não é coisa de filme!
Filmei, vou mostrar pra vocês, quando o vídeo resolver carregar! ;)
Volto logo com novidades e fotos!
Ah, estudem inglês ou vocês vão virar geléia!


Beijos com saudades!

sábado, 24 de julho de 2010

Primeiro dia!

Eu estava tranquila demais, até chegar no aeroporto.
Aí sim caiu a ficha e eu senti todos os sentimentos possíveis... mas o maior era medo. Medo de sair de perto de quem eu amo, medo do que estava por vir...
Hora de dar tchau para família e para o love... Buahhhh!



Durante o vôo, enquanto eu não dormia, eu chorava. No mês de julho, a caminho de Orlando, só tinha família, grupo de amigos rumo a Disney e eu lá, alone!
O aperto é tão grande que quase tira o fôlego.
E aí vem a primeira pergunta: O que que eu estou fazendo aqui?!
Óbvio que eu estava tão atordoada, que não tinha tempo pra pensar na resposta...
Chegando no aeroporto de Orlando, o transtorno pra pegar malas... Todo mundo conseguiu, menos eu, claro! A minha mala foi para uma outra esteira. Mas até eu entender isso, foram alguns minutos!
Depois de muita mímica, tentativa de inglês, espanhol e portunhol, um rapaz conseguiu me indicar o lugar. Eu só não deitei no chão e comecei a chorar por vergonha, porque vontade não me faltou.
Meu amigo me achou! Buahhhhh! Era muita emoção! Eu estava salva!
Para compensar, ele me levou na Universal Studios! :)



Já estou morrendo de saudade. Não dá pra medir, não tem tamanho...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

É hoje!

Daqui algumas horas muita coisa muda de lugar!
Obrigada amigos queridos pelos últimos dias! Pela presença na despedida, pelos telefonemas, pelas mensagens, pelos abraços, pelos presentes... Obrigada por tudo. Vocês fizeram com que esses últimos dias fossem ainda mais especiais!
Se eu tivesse tempo e paciência, ficaria aqui horas contando detalhes, citando nomes, postando muitas fotos! Até breve, queridos!



A foto do bolo, em homenagem a quem não comeu! :)

Próximo post, já em território americano! ;)

Com ansiedade, Thaís!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Derrubando pontes, reconstruindo castelos

Não sei ao certo quando decidi que seria assim.
Eu não queria desistir, embora, às vezes, desistir seja mais inteligência que fraqueza.
Durante muito tempo aquele quadrado era muito pra mim e o pouco parecia suficiente.
Como dizer tchau?!
O medo paralisa, perturba o sono, faz pesadelos.
Como sair da zona de conforto, seguir em frente e entender que antes de dar espaço ao novo, é preciso que deixemos o que é velho pra trás?
Foram tantos questionamentos, tantas etapas, pessoas, situações. Percebi que ao invés dos sonhos, comecei a colecionar lembranças.
Não há nada melhor que o hoje. Nada melhor que a certeza da melhor escolha, que dar o próximo passo sem medo de mudar de ideia! Porque eu descobri que não desisto, mudo de ideia! ;)
Nada ficará pra trás além do passado. É dada a hora de redobrar a atenção a si mesmo, perceber quando está fora do contexto. Não posso ficar onde não é o meu lugar e só levo comigo o que realmente me pertence.
Ainda não descobri o lugar exato e não sei se um dia ele vai existir, mas preciso caminhar pra que talvez encontre...
É preciso derrubar pontes, encerrar ciclos. Dar espaço para o novo, para o melhor, acreditar, dar valor, ter coragem.
Há alguns meses eu reconstruo, e a cada dia a vida vai ganhando um novo formato. 
Daqui cinco dias o castelo terá novo endereço e meu coração muito mais motivos pra descompassar...
Em ritmo de despedida!

Thaís