sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Há alguns dias...

Eu nem sei por onde começar. Até porque nem sei onde é que ficou o começo, onde tanta coisa mudou...
Mas lembro perfeitamente do dia em que decidi abrir mão de algumas coisas para viajar, para ir em busca do que naquele momento, nem eu mesma sabia bem o que era, além de um curso de inglês.

Uma coisa era certa, eu nunca deixaria para trás, pessoas.

A gente faz planos, a gente deseja, a gente sonha. Como eu sou sonhadora!

Eu esqueci de me lembrar que inclui seres humanos nos meus sonhos, esqueci de que as pessoas se confundem, se enganam e enganam os outros também.

Há alguns dias eu só queria realizar desejos, planejar ainda que fosse sozinha, e provar alguma coisa pra mim mesma...

Naquele tempo, que nem faz tanto tempo assim, eu me dividia em duas: a que estava lá, e a que estava aqui, porque de fato, um pedaço do meu coração ficou, e o resto dele nunca desejou viver tanta coisa nova sozinha.

É algo como quando a gente vê uma coisa nova e pensa: ahhh, como eu gostaria que fulano estivesse aqui e vivesse isso junto comigo! Isso fez parte de mim o tempo todo.
Era um pouco maior, porque é impressionante como tudo na minha vida, transborda, parece o dobro.

E aos quadrados eu acreditei, inclusive no tempo.

Como pode um castelo de repente desmoronar?

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Entre todas as coisas

Entre todas as coisas, a que eu mais gostava era acreditar. E ainda que a ansiedade da espera me esmagasse, tinha o começo do dia seguinte, a vontade que sorria com o que poderia – num futuro talvez, acontecer.

Eu gostei muito de acreditar em todas as palavras, no olhar, no sorriso, no choro contido. Tudo bem que tenha sido mentira. Foi bom acreditar.
Ainda elevo minha alma pensando no desejo dos mesmos passos - que no fundo, nunca foram os mesmos, no caminho longo do ir e vir, nos encontros insistidos e até nos assistidos. E foi bom pensar que foi tão bom pra mim, quanto pra você, ainda que não tenha sido.

Tanto as pequenas, como as grandes coisas, me fizeram perder um bom tempo. E a coisa que realmente me entristece, é não poder acreditar que durante todo esse tempo, eu tenha ganhado alguma coisa.

Ando pensando que talvez a perda, tenha sido o único ganho. E talvez amanhã quando tudo fizer mais sentido, o melhor deles. Porque até quando a gente perde, a gente ganha.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Keep your feet on the ground!

Quanto tempo! São tantas coisas nestes últimos tempos, que novidades já são assuntos velhos!
Mudei de escola, estou em um Campus lindo, com gente mais dinânica e três professoras de uma vez! Very good!
Este mês evolui meu psicológico para os próximos 20 anos: A cara dos EUA que ninguém conhece, está aqui na Flórida...
Todo mundo acha fácil, bonito, glamour e o pior, pensa que todo mundo vem aqui pra ficar ou ficou rico. Gente, this no longer exists! This is a thing of the past! Talvez tenha existido quando o dólar valia R$4,00. Hoje você faz dinheiro se for striper e bem corajoso (a)...
Acredite em quem vive isso. Isso aqui é a escola da vida!
Brasileiros têm fama ruim e é muito fácil descobrir porquê. É triste, but it's real. Cada história que parece duas...
Mudei de casa pela terceira vez, por força maior claro! Além da Lú, a finalmente companhia feminina, tem o James, americano mega paciente com lerdos em inglês! Agora eu acho que fico nesta casa atééé o dia de voltar! :)
Ah, não posso esquecer que agora também tenho a companhia da Sasha - A CÃ! hahaha Coisa mais fofa e obediente! (ela só entende in english! ;))
Eu nunca quis ter um coração de pedra. Mas com certeza eu estou aprendendo a ter um coração menos mole... Ninguém é tão bonzinho, a gente precisa desconfiar da quilometragem e olhar o prazo de validade. Assim que é a vida real. Welcome to América! (again e com foto da escola! ;))




quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Apressado come cru

Eu quase nasci antes da hora. Dentro do carro. Deve ser por isso que eu estou mais perto da linha do apressado do que do atrasado.

Muitas vezes, sei que poderia esperar mais tempo. Talvez pudesse poupar, esperar evaporar. Mas sempre tive pressa, queria logo. E diversas vezes o logo se prolongou, porque o meu logo, nunca era urgente para outras pessoas.

Apressado come cru, mas o lerdo pode comer queimado... E qual o tempo certo? Horas e horas de cozimento. Horas lendo receita. Meses amassando a mesma massa. E tantos ingredientes faltando...

Quem nunca teve um caderninho cheio de receitinhas e uns pingados de óleo? Os 20 minutos de assado que nunca foram 20. Porque só depois de um tempo a gente descobre o lance da potência, dos graus, temperatura.

Minha cadeira sempre esteve lá, quase ao lado do fogão. Nunca gostei da ideia de perder o ponto, embora inúmeras vezes tenha perdido a medida. Também acho prática a possibilidade de comprar pronto. Mas o prazo de validade não deixa de existir...

Pensando bem, acho que demorou um tempo para que essas aulas de culinária fizessem tanto sentido pra mim...

domingo, 12 de setembro de 2010

Detalhes

Logo que citei sobre o que desejava falar, desabafar, escrever, enfim... Lembrei da música do Roberto Carlos. É brega, mas é real. E me desculpe, é linda também. “Detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas muito grandes pra esquecer, e a toda hora vão estar presentes, você vai ver!” De nós dois, nós três, ou quatro. Não importa!

Eu sempre fui detalhista. Minuciosa. Observadora. Além disso, também sempre fui 100%, inteira, completa, transbordando. E quem é demais, cobra demais, espera demais, se frustra demais. Sempre soube que demais é muita coisa. Mas sempre preferi o mais. Porque menos é pouco demais pra mim.

Eu sou apaixonada por detalhes. Pelas pequenas coisas que muitas vezes passam despercebidas por tantos, mas que considero extremamente importantes. São os pequenos e quase imperceptíveis instantes inesquecíveis.

E na ciranda dos encantos que a vida me permite viver, todos os detalhes continuam dando voltas pelos meus dias - Inclusive os detalhes ausentes. Aqueles que não passaram do desejo e dos intermináveis minutos de espera e de sonho. Embora fossem completamente possíveis.

Às vezes, tudo fica escondido no lado confuso da complexidade do ser humano que também faz parte de mim. E aí me faço inúmeras perguntas obviamente sem respostas. Como gostaria de entender tanta coisa, que pode inclusive ser um mero detalhe, mas que eu guardo na minha certeza, fazer toda diferença. Não tenho asas pra voar, mas talvez eu pudesse ter menos lados pra enxergar, ou ter a certeza de quantos lados o outro tem e de que lado exatamente eu posso entrar... (porque eu nunca fico do lado de fora...).

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Um mês

Já faz um mês que estou longe "de casa"... Meu Deus, como o tempo voa!
E neste tempo, eu já aprendi tanta coisa, que o inglês parece até secundário...
Bem... Agora com a escola, tudo ficou ainda mais corrido...
Um parenteses: Algumas coisas eu não vou dizer aqui. Quem está em contato comigo sempre entende, se não entende, manda e-mail, pergunta. Enfim. Outra coisa, quando eu escrevo aqui, já é um sinal de que estou bem - feeling people!, sinal de que eu tenho um pouquinho de tempo, olha só! :) (Já dizia o Cirilo: é que eu só quis dizer...)
Estou estudando de segunda à quarta, das 8 as 14h e os demais dias trabalho em um hotel (all day long!).
Tenho conhecido bastante gente diferente. Trabalho com polonês, mexicano, americano... Estudo com haitiano, chinês, coreano, mexicano, e pessoas de muitas bandas desse mundo... Tenho mega dificuldade para compreender o povo da ásia. Dicção estranha, não falam com clareza, sei lá. Ou então eu estou tão mal no inglês que já viu né?! hahaha
Onde moro não tenho canal brasileiro. Tenho assistido muitos programas americanos e muitos filmes, é uma maneira de melhorar meu listening.
Aliás tem inúmeros filmes ótimos em cartaz. Quero assistir Eat, Pray, Love. Como li o livro, vai ser menos confuso e desesperador... Pronto, falei! =p
Estou viciada em um reality chamado Scream Queens. É competição de atrizes... os profissionais são feras e pedem cada cena que só quem sabe mesmo pode fazer! É muito legal! Quem quiser espiar, entre aqui.
Ah, para quem ainda não foi e pretende conhecer a Disney: Vá com tempo. os parques são imenso e adivinha? Lotado. Para conhecer bem mesmo, você precisa de pelo menos meio dia em cada um. Quero voltar... Em um dia fui em quatro! Não façam isso! Sabe como é né?! Primeira vez, quer colocar Brasil dentro de São Paulo.
Todos os parques são lindos. Diferentes. Mas magia mesmo está no Magic Kingdom. É o mais infantil e bem mulherzinha - mas lá estão todos os personagens da Disney, as princesas, as luzes, os fogos...
Enfim, algumas fotos! Preciso ir, amanhã tenho aula cedinho... :)
Beijos queridos, com saudades.


   
 
  

terça-feira, 17 de agosto de 2010

News!

Ok, I'm so sorry...
Agora eu estudo e trabalho again. Logo, fico mega cansada e quando eu tenho um tempo pra fazer nada, eu me jogo na cama... Sabe como é... (Depois conto do trabalho novo e da escola...)
São tantas coisas que nem sei por onde começar. Até porque o começo não existe, e tem novidade que está tão atrasada que já não é mais novidade, noticia velha! :/
Tem pequenas bobagens que descubro e acho muito legal! Por aqui, cada um tem sua placa de carro. Você pode colocar flor, borboleta, seu nome, o que quiser... só se usa atrás do carro. Na frente não. A menos que você queirra enfeitar... Outra coisa: se você troca de carro, a placa continua sendo sua. Isso mesmo, desparafusa e vai com você debaixo do braço. Não é legal? (Sim, eu me divirto com pouco! ;)) Uma coisa nada divertida: Com 1.500 dólares você compra um bom carro aqui. BOM com letra maiúscula.
Bem, abafando a raiva e esquecendo os impostos...
Gosto da praticidade daqui. Logo que cheguei, comentei sobre varal. WHAT?! Varal é coisa de gente bem pobrezinha. Isso não te pertence mais! Lavadora e secadora por aqui é o básico, quase todos têm e poucos passam roupa... (tem algo que vai na secadora que deixa a roupa praticamente passada!) OBS.: Minha mãe amou essa facilidade! ;)
Meninas... até unha se compra aqui. Poucos fazem a própria unha. No salão, a maioria quando vão, é pra colocar a postiça!
O mercado dá medo. É tanta delícia que a gente engorda só de pensar. Eu consigo me controlar, massss tudo que é mais saudável é mais caro.
Tudo que você imaginar vende em lata! Apesar das reclamações sobre o feijão enlatado, eu gostei... vem pronto, só temperar. Fica com gosto normal do Brasil il il il...
Ah, a maçã. Assim como outras frutas, ela vem lavada, cortada, sem sementes, pronta pra comer. E é uma delícia...


Tem muitas outras coisas, vídeos, mas agora tenho que sair. Aos poucos vou contanto, logo mais volto aqui!
Beijos queridos! :)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Expectativas a parte

Tem coisas e pessoas que não vão mudar. Nem aqui, nem em qualquer lugar do mundo.
Tem coisas e pessoas que sinto falta. E eu quero muito que chegue o dia em que
eu estarei certa de que posso viver sem elas.
Desistir, às vezes, é muito mais inteligência que fraqueza...
Pois é.


terça-feira, 27 de julho de 2010

Paradinha rápida

Se hoje, o inglês é como se fosse um item básico na vida de qualquer pessoa, eu digo: queridos, coloquem suas crianças no inglês desde muito cedo.
Me sinto uma criança sendo alfabetizada.
Sobre os cinco anos estudando inglês no Brasil... forget it!
No meu primeiro dia...
Sabe aquelas brincadeiras que crianças fazem em filmes - vender limonada na porta de casa?! Pois é. Duas crianças vieram brincar comigo e eu fiquei com cara de samambaia!
Eles perguntaram: Você quer beber água em uma flor como uma borboleta? Somente 5 centavos!
Traziam uma flor em formato de copinho e colocavam a água. Ah, eles tinham que dar na minha boca!
Teria sido mais divertido se eu não dependesse de mímica, ajuda de terceiros e tudo mais pra entender... Whatever!
Fomos (um amigo e eu) comer no subway... Nunca foi tão difícil pedir um lanche minha gente! O esquema é se fazer de simpática, sorrir, concordar! :)
Ah, a balada. Gente, a mulherada se esfrega, sobe em cima da mesa. (Ohhh my God!!! - é o que dizem as mais recatadas!). Os negros enormes (comparados ao meu 1,56), estilo hip hop, com colares e dente de ouro. É tudo real, não é coisa de filme!
Filmei, vou mostrar pra vocês, quando o vídeo resolver carregar! ;)
Volto logo com novidades e fotos!
Ah, estudem inglês ou vocês vão virar geléia!


Beijos com saudades!

sábado, 24 de julho de 2010

Primeiro dia!

Eu estava tranquila demais, até chegar no aeroporto.
Aí sim caiu a ficha e eu senti todos os sentimentos possíveis... mas o maior era medo. Medo de sair de perto de quem eu amo, medo do que estava por vir...
Hora de dar tchau para família e para o love... Buahhhh!



Durante o vôo, enquanto eu não dormia, eu chorava. No mês de julho, a caminho de Orlando, só tinha família, grupo de amigos rumo a Disney e eu lá, alone!
O aperto é tão grande que quase tira o fôlego.
E aí vem a primeira pergunta: O que que eu estou fazendo aqui?!
Óbvio que eu estava tão atordoada, que não tinha tempo pra pensar na resposta...
Chegando no aeroporto de Orlando, o transtorno pra pegar malas... Todo mundo conseguiu, menos eu, claro! A minha mala foi para uma outra esteira. Mas até eu entender isso, foram alguns minutos!
Depois de muita mímica, tentativa de inglês, espanhol e portunhol, um rapaz conseguiu me indicar o lugar. Eu só não deitei no chão e comecei a chorar por vergonha, porque vontade não me faltou.
Meu amigo me achou! Buahhhhh! Era muita emoção! Eu estava salva!
Para compensar, ele me levou na Universal Studios! :)



Já estou morrendo de saudade. Não dá pra medir, não tem tamanho...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

É hoje!

Daqui algumas horas muita coisa muda de lugar!
Obrigada amigos queridos pelos últimos dias! Pela presença na despedida, pelos telefonemas, pelas mensagens, pelos abraços, pelos presentes... Obrigada por tudo. Vocês fizeram com que esses últimos dias fossem ainda mais especiais!
Se eu tivesse tempo e paciência, ficaria aqui horas contando detalhes, citando nomes, postando muitas fotos! Até breve, queridos!



A foto do bolo, em homenagem a quem não comeu! :)

Próximo post, já em território americano! ;)

Com ansiedade, Thaís!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Derrubando pontes, reconstruindo castelos

Não sei ao certo quando decidi que seria assim.
Eu não queria desistir, embora, às vezes, desistir seja mais inteligência que fraqueza.
Durante muito tempo aquele quadrado era muito pra mim e o pouco parecia suficiente.
Como dizer tchau?!
O medo paralisa, perturba o sono, faz pesadelos.
Como sair da zona de conforto, seguir em frente e entender que antes de dar espaço ao novo, é preciso que deixemos o que é velho pra trás?
Foram tantos questionamentos, tantas etapas, pessoas, situações. Percebi que ao invés dos sonhos, comecei a colecionar lembranças.
Não há nada melhor que o hoje. Nada melhor que a certeza da melhor escolha, que dar o próximo passo sem medo de mudar de ideia! Porque eu descobri que não desisto, mudo de ideia! ;)
Nada ficará pra trás além do passado. É dada a hora de redobrar a atenção a si mesmo, perceber quando está fora do contexto. Não posso ficar onde não é o meu lugar e só levo comigo o que realmente me pertence.
Ainda não descobri o lugar exato e não sei se um dia ele vai existir, mas preciso caminhar pra que talvez encontre...
É preciso derrubar pontes, encerrar ciclos. Dar espaço para o novo, para o melhor, acreditar, dar valor, ter coragem.
Há alguns meses eu reconstruo, e a cada dia a vida vai ganhando um novo formato. 
Daqui cinco dias o castelo terá novo endereço e meu coração muito mais motivos pra descompassar...
Em ritmo de despedida!

Thaís 

segunda-feira, 15 de março de 2010

Oprah Winfrey

Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe;
Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.
Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento.
Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.
Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre um que realmente te faz feliz.
Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia,”foda-se, mande pro inferno, esquece!”, vocês não podem “ser amigos”. Um amigo não destrataria outro amigo.
Não conserte.
Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo. Não continue (a relação) porque você acha que “ele vai melhorar”.
Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.
A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.
Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?
Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar,faça um escândalo.
Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você… mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
Não o torne um semi-deus.
Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
Nunca deixe um homem definir quem você é.
Nunca pegue o homem de alguém emprestado.
Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
Um homem vai te tratar do jeito que você permita que ele te trate. Todos os homens NÃO são cachorros.
Você não deve ser a única a fazer tudo…compromisso é uma via de mão dupla.
Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. Não há nada precioso quanto viajar. Veja as suas questões antes de um novo relacionamento.
Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar.
Uma relação consiste de dois indivíduos completos, procure alguém que irá te complementar… não suplementar.
Namorar é bacana. Mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
Faça-o sentir falta de você algumas vezes… quando um homem sempre sabe que você está lá, e que você está sempre disponível para ele, ele se acha…
Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice (ou co-assine qualquer documento) de um homem.
Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa. Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros…
Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam). Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas, e outras mulheres se prepararem.
O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas.
Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata, é ele que vai perder uma coisa boa.
Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.
Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções.
Faça a escolha certa.

CUIDEM BEM DE SEUS CORAÇÕES…

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

VT

Embora existam várias situações já vividas antes, ainda me deixo impressionar e deixar com que tenham um peso enorme sobre mim. Assim como não é nada que eu não tenha vivido antes, não é o que eu já não tenha escrito antes: relatos do que já senti. Percebo o que pontua minha vida e pra onde eu sou jogada ou me atiro e, apesar disso, continuo a sagitariana até no fio de cabelo e que sempre quer vibrar a vida dois tons acima do que parece normal.



Extremos que faz chorar o inferno que está por vir, intensidade que me leva ao limite que não presuponho, e aí quando penso que sei algo sobre controle, me sufoco sem perceber que alguém quer todos os meus ângulos e pouco interessa se é reprise.



Eis aqui a mesma: alguém que acredita demais, que confia inclusive no tempo. A mesma que se embola nas palavras por que quer dizer todas juntas e de uma vez só, que vê infindáveis argumentos e razões, que quer explicar tudo embora seja tão transparente.



Apesar de tanta insuficiência e da embriaguez que a fragilidade traz, amanhã eu vou ter coragem de ser a mesma do relance mais velho no espelho, e isso não vai abrir em mim enormes abismos.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Fim do dia

E aí, quando você acha que é a mosca que ronda o coco do cavalo, vem alguém pra dizer: "eu gosto de você, você é especial, sinta o meu abraço".

Pronto.
Vou dormir muito, muito melhor.

Inquietude

Sempre fui do tipo que se tem que provar mais de uma vez que não vale a pena pra eu desistir. Às vezes eu insisto. Porque tem aqueles milhares de sintomas feminino que nos diz que vale a pena e blá blá blá...
Acho que sempre faltou realidade também. Choque de realidade, sabe? Doses cavalares de provas, evidências, indícios, lógica...
A gente gosta de viver de história. De mentira. E adora esperar.
Eu odeio não entender.
Eu sempre prefiro conversas esclarecedoras, por pior que elas sejam. Eu sempre prefiro a sinceridade mesmo que amarga. Dói e passa. 
A dúvida consome, persiste.
Eu odeio perdoar e não esquecer.
Eu queria que hoje fosse amanhã. Ou alguma coisa desse tipo.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Uma carta para tristeza

Companheira, sei que vc vai chorar quando ler esta carta. Vai ser difícil para mim, pois me acostumei à sua presença, porém não vejo mais motivos para continuarmos juntas.
Perdi anos de minha vida ao seu lado, tristeza, acreditando que o amor não existe e o mundo não tem jeito. Vc é péssima conselheira.
Chegou a hora de dar chance à alegria, que há muito tem mostrado interesse em passar um tempo comigo.
Desde criança, abro mão de muita coisa por vc. Festas a que não fui porque vc não me deixou ir, paisagens lindas nas quais não reparei porque vc exigiu de mim total atenção.
Quero de volta meus discos de dance music, que vc tirou da prateleira. E minhas roupas estampadas, que sumiram do meu armário depois que vc se instalou aqui.
Quero ver a vida por outros olhos, que não os seus. Quero beber por outros motivos, que não afogar vc dentro de mim.

Como disse Lulu hj de manhã no carro a caminho do trabalho: Não te quero mal, apenas não te quero mais.

Fernanda Young

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Você gosta de quem?

"Fizeram a gente acreditar que um de nós é a metade de uma laranja. E que a vida só ganha sentido quando encontrarmos outra metade. Não nos contaram que já nascemos inteiros e que ninguém em nossas vidas merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta...A gente só cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada dois em um. Duas pessoas agindo igual, pensando igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem um nome: ANULAÇÃO.
E que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais Amados...
Que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto! Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula para ser feliz, a mesma para todos.
Não nos contaram que estas fórmulas são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas.
Ah! também não nos contaram que ninguém vai contar isto tudo pra gente, cada um vai descobrir sozinho. E aí,
quando você estiver muito apaixonado por você mesmo,
vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.

VC GOSTA DE VC?¨

(John Lenon)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Você tem que me amar!


NÃO, NÃO TEM! ;)

Preferência


(...)
"Ser capitã desse mundo
Poder rodar sem fronteiras
Viver um ano em segundos
Não achar sonhos besteira
Me encantar com um livro, que fale sobre vaidade
Quando mentir for preciso, poder falar a verdade..."


Cho-ro-rô

Lámigas, s.f. Secreção límpida, incolor e salgada, produzida pelas glândulas lacrimais, que umidifica a conjuntiva e a córnea, exerce uma ação bactericida e expulsa pequenos corpos estranhos e a poeira que penetra nos olhos.

Adeus corpos estranhos!