domingo, 20 de abril de 2008

Quando o príncipe vira sapo, jacaré e ogro...


Todos nós sabemos que isso é o que mais acontece na face da terra. Dizem até que quando a esmola é demais, o santo desconfia. Desconfie sempre.
Tem gente que parece até agenda eletrônica. Liga pra acordar, tomar remédio, dizer coisas inúteis. Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. Não venha em uma semana querer outorgar um título de propriedade. O excesso sem disfarce de sutileza irrita.
Não considero namoro uma palavra macabra, mas o outro lado da indecência masculina vista nesses últimos tempos é assustadora. Ora me senti homem, outras senti que beijei uma mulherzinha. E pior que qualquer tipo de crise, minha vergonha alheia disparada foi no pedido de exclusão do orkut e congêneres.
Sempre ouvi dizer que homem tem pavor de mulher afoita. Parece até que tem medo que a cidadã se transforme numa dominadora, criatura sádica que vai arrastar a presa, fazer enxoval, comprar alianças e apresentar pra parentada! Não vai. A menos que seja uma psicopata. Muito mais pata que psico.
E isso existe na raça do sexo masculino. Falo com conhecimento de causa.
No primeiro instante se parece que encontrou o próprio príncipe no cavalo branco de tanta gentileza. Você consegue até digerir o fato dele ter um mau gosto pra N coisas ou algo do tipo. Ele quer provar a todo momento o quanto você é especial, o quanto a ama e consegue inclusive te fazer pensar que dessa vez você encontrou a azeitona da sua empada.
Em uma era onde as pessoas (a maioria) têm medo de assumir sentimentos, isso tudo parece uma graça.
Mas como num passe de mágica, PLIM! (não é mágica, você simplesmente acordou).
É possível ver a péssima combinação de cores existentes em um corpo só, o cabelo ou a falta dele, o tamanho – pequeno demais ou largo demais, e, se você não tiver um pingo de sorte vai descobrir as duas coisas, a delicadeza grudenta, o jeito de falar irritante, a passividade, a falta de masculinidade, a falsidade, a maneira como é influenciável.
Pra ajudar bastante, carrega a tira colo um melhor amigo. E aí, finalmente você constata que a relação nunca seria a dois, sempre a três.
Obviamente você não quer nada, mas se submete ser amiga, afinal de contas a sua terapeuta disse que você é a cada dia uma mulher mais evoluída, capaz de compreender até o incompreensível, e você faz o exercício do canaliza e abstrai.
Passe de mágica NEW NUMBER. (a gente perde a conta...)
Uma relação kinder ovo. Sempre aparece uma surpresa diferente. A cada dia você descobre uma podridão maior.
Mentiras que você imaginou que eram única e exclusivamente pra te proteger - mesmo você sendo grandinha e sabendo se proteger sozinha, eram mentiras mesmo – de graça e das gordas.
Aí se percebe que nada mais é tão legal assim e que ser amigo exige mais paciência do que se imaginava.
Não que eu esteja cada vez mais insuportável, até acho que contar tudo pro melhor amigo é legal, mas peloamordedeus, a menos que o amigo não seja fofoqueiro. Porque convenhamos, não é legal se ver exposta numa mesa de bar.
Encaminhar conversa de msn é o cúmulo de hormônio feminino na pessoa errada, mas ter que mandar para o best pra ajudar na interpretação do texto, já é um Deus nos acuda!
Porque você ter dito NÃO, com todas as letras e em alto e bom som, não foi suficiente. Nunca é. Principalmente quando a pessoa não sabe perder.
Imagine a cena: O cidadão em questão contando vantagem para os amigos em prosa e verso da virilidade invejável da qual é feliz portador, ou está insinuando, dizendo com todas as letras, o motivo de se deslocar de casa até uma balada e que faria, porque você deu indícios. Tão adulto né?! Lamentável. Um horror. E péssima interpretação de texto.
Nessa altura já é sapo faz tempo. Bem pior. Dá fobia. Dá nojo.
O dom que algumas pessoas têm de ser idiotas, me causa dores profundas no estômago. Chega a atacar a gastrite nervosa que instiga a vontade feroz de dar um soco em um ser desses até fazer virar gente!
As favas que me perdoe, mas mandei pra lá.
Não quero ver nem pintado de verde e amarelo em época de copa do mundo.
1) Delete
2) Lixeira
3) Esvaziar Lixeira
4) Abrir documento novo
Assim, pra finalizar bem adolescente no corpo de 30, superficial até a tampa e deslumbrado com um mundo pós-moderno que não beneficia quando falta cérebro e bom senso.
Tudo isso só serviu pra me deixar com dons artísticos aflorados e com a mesma vontade de reproduzir com realidade fiel o Guernica do Picasso, com personagens da minha vida cotidiana... Muito sangue e pedaços para todos os lados, coisa linda de ver...

2 comentários:

Danni'S bolsas e acessórios disse...

Pior de tudo é quando o príncipe finge engana e mente.

Vanessa Rocha disse...

Engraçado o texto cai na hora certa, me peguei rindo pq nao é a primeira vez, engraçado que a gente se deixa ser enganada por situações tao parecidas, como se nunca tivessemos passado por aquilo kkkk rindo muito e com raiva, sera q nunca vou aprender? kkk