quarta-feira, 13 de julho de 2011

Dose de realidade

Eu conheço pouca gente que vive todo o tempo de realidade. E a menos que você viva no mundo irreal do facebook, os dias de todos nós, pobre mortais, está longe de ser feliz integralmente ou composto por situações que possamos expor sem vergonha, receio e fotos de momentos inesquecíveis.

Ou você tira foto de quando você leva um pé na bunda ou uma bronca do chefe com legenda: momento memorável - eu no escritório, com cara inchada e feliz porque a comida que levei do chefe neste momento, me fará uma pessoa melhor.  

Não, não faz!
 
É até engraçado a facilidade com que se fala sobre o que fez e desfez, ainda que seja um monte de mentiras. É o final que se deseja contar, que quer que as pessoas saibam. 

Prefiro o processo. É geralmente doloroso, nem um pouco cheio de glamour, mas o que faz com que seja o que realmente é. A transformação, o movimento até onde se quer chegar, é o que mais admiro, é o que me envolve. Chamar um táxi é fácil, ir caminhando e falar sobre os calos e bolhas nos pés não.

No fundo, penso que o bom choque de realidade concreta, aquela incontestável, com realidade de fatos, dados, circunstâncias, provas, números absolutos, lógica e geralmente com muita dureza, é o que faz a gente pensar na possibilidade de mudança. É preciso ter coragem para mudar.

Cada um é dono do seu castelo e cada um escolhe a coroa que quiser. Mas a mesma mão que constrói o castelinho de areia, é o que o faz desmoronar. 

Viver de sonho idealizado com venda e mordaça, só faz com que a gente fique justificando cada erro, criando enredos iguais, com mocinhos com o mesmo corte de cabelo e o velho cavalo branco fora de moda. A gente enfeita, perfuma, escolhe trilha, a iluminação do roteiro e ainda jura que pode fazer com o que o final seja na hora cravada em que escolheu.

Não dá certo. Custa caro. Sonhar é muito bom, viver de sonho não. Sonho não alimenta. Se alimenta, não sacia.

Depois de mentir pra si mesmo com tanta clareza que te faz cegar, é chegada à hora de culpar o mundo pelos desamores da vida, o destino, o acaso, o divino. Hora de repetir a história pra quem não tem o menor interesse em ouvir, porque ninguém quer ver o mesmo episódio da novela milhares de vezes. E tudo porque a gente fantasia até o sorriso banguela, querendo, desejando com toda a força que seja um sorriso cheio de dentes brilhantes e perfeito como aqueles que a gente vê nos comerciais de TV.

Para alguns parece mais fácil viver de mentira e deixar a verdade ir passando um pouco todos os dias, pelas frestas de todos os enganos que a gente inventa. A verdade clichê diz que sempre se há de aparecer. Por isso, antes tarde, do que mais tarde ainda. E mesmo que seja uma verdade com vertentes diferentes daquela que um dia sonhou, com uma versão mais triste daquela do espelho e das fotos ensaiadas, é a que você pode ter rédea sobre ela. Por mais que desnude seus medos e fragilidades, que te enfeie, te diminua, desvalorize, é a que você pode mudar para que possivelmente consiga vê-la como um dia de fato ela pode ser.


15 comentários:

Renée S. Costa disse...

Retribuindo a visita! Adorei seu texto!
Algumas pessoas criam um universo fantasioso, cheio de mentiras e ilusões e se trancam nele crendo que é a melhor forma de viver!
Sonhar não é pecado, mas é preciso arregaçar as mangas e lutar para tornar os sonhos realidade!
Beijos

Luzia Medeiros disse...

Oi fiquei feliz com sua visita ao meu cantinho, também gostei muito daqui, são palavras verdadeira.
Concordo com você so sonhos são maravilhosos, porém não podemos sonhar a vida inteira, temos que enxergar a realidade.
Beijos.

Camila disse...

Gostei do jeito como escreve.
Mudar requer esforço,eu bem sei como é.

'Lara Mello disse...

As vezes parece que é só preciso ter coragem :(

Olha, não tá fácil..

Flor disse...

Olá queridona!

Olha, sonhar é na verdade muuito perigoso (embora necessário), tantas vezes as coisas não saem como planejamos né? Ai a gente frustra, quer acomodar e desistir, mas tem que ir em frente, com os pés na realidade.

Beijo e uma ótima semana :*

C. disse...

Thaís,
teu post me lembrou de uma analogia bem realista com o casamento. Tá, nao vai direto de encontro ao que o post propoe, mas foi o que pensei durante a leitura.
Enquanto namoramos é tudo um conto de fadas, mas a vida vem com sua slta dose de realidade no casamento e nos faz perceber que idealizar um casal de novela das 8 é uma coisa, mas viver a rotina do casamento é bem outra.
E "snif" pra todos nós! rss (rir pra nao chorar).

ótima semana pra você!

Asas que ultrapassam os domínios do Sol disse...

Oi Thaís,
adorei o seu blog, é vibrante e determinado, tal qual o tom das palavras que pude ler nesse post. Assim como vc eu "Prefiro o processo. É geralmente doloroso, nem um pouco cheio de glamour, mas o que faz com que seja o que realmente é", apesar de ser disforme como o seu deus maior o trabalho, ainda me parece mais EXATO, o único significado com o qual entendo a palavra clichê justiça.
Um abraço,
E muito obrigada por seu lisonjeiro comentário no meu blog. Quem minha mãe agrada, a minha vida adoça.
Hilda Freitas

Michele disse...

Amiga, quem vive apenas de sonhos, não vive, deixa a vida passar tentando crer que o mundo é cor-de-rosa. Sou a favor das verdades, sejam quais forem, doam o quanto doer. Ao menos podemos crescer com elas. E compartilhar mesmo esses momentos tristes nos faz ainda maiores, ao passo que sempre podemos incorporar às nossas verdades as experiências do outro, e quem sabe assim, mudar para melhor!

Um beijo da amiga quitiama!

larissa disse...

Mudanças nunca são fáceis. Ser fútil é a maior facilidade da vida. Se adequar aos outros é clichê, mas ainda tem gente que é assim. Ninguém está propenso a ser feliz do jeito que quer. Tem sempre alguém querendo moldar a nossa felicidade. É preciso se libertar do que nos faz mal. É preciso ser feliz, sendo de qualquer jeito. Apenas sendo.
Adorei.

Um beijo.

Malu disse...

Gostei muito do teu texto, Thaís!
Concordo contigo.

Crescer dói! Assumir a responsabilidade por tudo o que vivemos, também! É uma das formas, penso, de vivernos a verdadeira liberdade!

Camila disse...

"Que mentir pra si mesmo é sempre
a pior mentira..."

Eu sempre preferi o caminho à
chegada. Acho que só a glória, uma
hora cansa!

C. disse...

Oi Thaís, vim ver as novidades....



Beijinhosss

Teca disse...

É pura verdade tudo isso, amei!Parece q as pessoas julgam a realidade muito sem graça e manipulam as mentiras pra contar o que elas querem transparecer. Hahahha, me matei de rir imaginando umas fotos da "vida real", aí sim eu clicaria no "curtir" com gosto! kkk. Mas essas periércias a gente conta pros íntimos no olho no olho, né amiga, num teria nem sentido expor, mesmo. Ah! Linda essa foto do post do castelinho na mão! Te amo.

letícia k. disse...

para chegar onde se quer é preciso sonhar, e antes de tudo, batalhar por aquilo que se sonha. bjbj

Teca disse...

...pensei denovo em vc... =)