sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Inquietude

Sempre fui do tipo que se tem que provar mais de uma vez que não vale a pena pra eu desistir. Às vezes eu insisto. Porque tem aqueles milhares de sintomas feminino que nos diz que vale a pena e blá blá blá...
Acho que sempre faltou realidade também. Choque de realidade, sabe? Doses cavalares de provas, evidências, indícios, lógica...
A gente gosta de viver de história. De mentira. E adora esperar.
Eu odeio não entender.
Eu sempre prefiro conversas esclarecedoras, por pior que elas sejam. Eu sempre prefiro a sinceridade mesmo que amarga. Dói e passa. 
A dúvida consome, persiste.
Eu odeio perdoar e não esquecer.
Eu queria que hoje fosse amanhã. Ou alguma coisa desse tipo.

Nenhum comentário: