quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Clichê

Eu não me importo com o seu jeito de andar, com a falta de silêncio ou com o que sobra de agonia. Mas é perceptível o que segue incontrolável nas frestas que também preenche o seu vazio - eu sei. Finjo que não me irrita as suas manias porque sou cheia delas e no mais, vejo em cada trejeito o diferecial que me cerca de vontade de não saber o que realmente é o certo. Eu me perco nos detalhes - pelo simples fato de ter um potencial gigantesco para me perder em você. Assumo o peso, não sei quais são as medidas e não me desespero por não saber. Sinto calma destilada e olhares perdidos, cheios de vontade dos teus, com uma certeza dolorosa de que vão se dividir nos próximos quinze minutos. Ouço no silêncio, fecho os olhos para a minha própria promessa e penso na saudade desmedida. Eu digo não; querendo dizer sim, penso; não querendo pensar, imponho prazo e me perturba o limite. Vejo sorrisos embrulhados em papel de presente, engano a fraqueza e penso no feliz acaso que não pode ser chamado de destino, não porque seja forte demais, mas porque metaforicamente é imcompreensível...

6 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Decifra-me ou te devoro?
Bem por ai, né?
Bjs

Estava Perdida no Mar disse...

Quando estamos num relacionamento precisamos aprender a pensar e agir pelo bem do casal. Creio que isso é fundamental para q qq relação possa ter chances de dar certo. Mas quando, pelo motivo q for, esta relação não existir mais é a hora de entender que o nosso sentimento pelo outro não nos dá o direito de controlarmos ele e mais ainda...é saber que este sentimento, essa preocupação e esse cuidado deve ser transferido para outra pessoa: para nós mesmas.

Tente controlar mais a si mesma. Deixe-o.
Pelo seu bem
Pela calma do seu coração e da sua paz.
Beijos

Caroline disse...

Que texto lindo!

Eu também sou assim, tão confusa, clichê, meio infantil... Loucura né?

Amei aqui.

Um beijo!!

Estava Perdida no Mar disse...

Moçaaa....

Volteeee

Beijossss

lara disse...

Nossa. Lindo esse texto. Gostei mesmo. Também gostei do blog. Vou voltar por aqui.

Dri Viaro disse...

Oi Thais, passando pra conhecer
bjs