terça-feira, 27 de maio de 2008

Sobre alguns passos

Mesmo que eu tentasse prever, eu jamais saberia. Mesmo que o contrário persistisse no meu contar o tempo, nenhum ponteiro diria que seria justamente ali.
 

E ainda que o calendário me revelasse com um círculo urgente sobre o acolhimento quase imbecil, eu sei que resistiria e escolheria o esquecimento momentâneo. Porque de fato, eu nunca esqueço.
 

Na verdade eu sinto que a minha própria vida em sua estratégia contra mim mesma planejou vagamente o caminhar do meu lado atado, incapaz e covarde. E até penso que pode não ser tão ruim pensar nisso, afinal, sempre tive certeza do lado que se joga, mesmo muitas vezes com medo de ser feliz. E não consigo, nem sei se quero adivinhar quantos lados a vida tem no meu perder de contas...
 

Sem me importar com a próxima madrugada ou com o bom dia triunfante do meu amarelo favorito, esqueci dos passos curtos, mas rápidos. Os passos que vi se estranhar algum tempo antes, sob as mesmas pernas saltitantes, presenciando o revezar junto aos poucos passos de quem sei, embora o meu saber, seja o que nunca sabe ao certo.
 

Não sorrir quando não sei o que fazer, é sinônino do meu auto riso depois, mesmo que permaneça intacta a embriaguês de emoção alternada, meio descontrolada, seguida dos monólogos silenciosos que quase têm hora marcada nos meus dias.
 

É como se eu soubesse que esses pés vão sempre pertencer a uma menina tola, às vezes patética, desastrada, que se embaraça com pouco, embora o pouco pra ela seja muito.



Contudo, eu adoro ser eu. *em cores, ou não! =]

5 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Tb tenho o grande hábito de sorrir quando não sei o que fazer, sorrir de nervoso, e sorrir quando não devo. Mas, quando me assustam eu fico naturalmente contraída. Com os olhos arregalados e sem reação. Tb não sei quantos lados de mim existem e com qual deles eu vivo na maioria das vezes. Mas vamo que vamo.
Este filme é de um cara que conhece uma menina...eles escrevem num livro e anos depois a noiva dele dá o livro de presente...ai ele entende que ama a menina e vai ficar com ela. É este?
Beijos

Menina Bonita. disse...

Me lembrou muito a Musica O Velho e do moço do Los Hermanos seu post ;)

E um trechinho de rita lee

"No ar que eu respiro,eu sinto prazer de ser quem eu sou,de estar onde estou..."


Ta linkada ;)

Beijos.

Patrícia disse...

Mana Mana, colorida ou em preto e branco vc será sempre minha mana!!!!
beijokazzzzzzz

Maria Fernanda disse...

Acho que me vi nas entrelinhas.

• Camila disse...

Um lindo texto muito bem escrito
e a frase do final
eu adoro ser eu, em cores ou não

LINDO AMEI


beijaooo