terça-feira, 20 de maio de 2008

Pausa constante

Eu adoro andar pelo contrário, mas juro que é inconsciente.
Aí eu me atiro, me jogo em voltas que parecem não ter fim.
(até ficar bem tonta! bem mais!)
E não é difícil me perder no meio do caminho...

(eu sempre me perco)
Faria até um drama se soubesse o final, mas não sei de nada.
Gosto mesmo do original, o rascunho me soa muito ‘demodê’!
Além disso, gosto dessa sensação de que não quero esquecer.
Acho ótimo pensar que daqui a pouco eu vou voltar nos minutos de ontem.

E tic tac passa a hora.
E tic tac passa o tempo.
Logo, mais uma vez, todos os pensamentos se voltam pra mim.


Agora, Thaís sua brega, desce e volte ao trabalho! =p

Nenhum comentário: