quarta-feira, 7 de maio de 2008

Monólogo silencioso...

Não vou falar sobre a falta e saudade ou qualquer tipo de distância.
Não vou contar sobre algum aperto no peito ou alguma ânsia.
Não vou dizer o que rouba o sono ou o que faz dormir melhor.
Não vou decifrar pensamentos, não quero idéias brilhantes.
Nada disso!
E nada de vocabulário.
Nada de sentimento sem nome.
Nada do que não tem explicação.
Porque no fim das contas tudo que desvendava muito, não quer dizer absolutamente nada.
E está tudo perfeito como está!

Um comentário:

AlmA FeLina disse...

Engraçado,
Me identifiquei.
Também tenho deixado como está.